This website uses cookies to ensure that we give you the best experience on our website. If you continue we assume that you consent to receive all cookies on all websites.
For further information, please click here >>.

ESPECIALISTA EM LÍNGUAS E INTERCULTURALIDADE DE LÍNGUA INGLESA - PE/261/2021 (AD5) M/F

Local : Luxemburgo
Fim da publicação no sítio Web externo : 10/06/2021 17:30
Serviço : 09-Direction Générale de la traduction
Referência : PE/AD/261/2021
Guia destinado aos candidatos :

Generalidades

Antes de se candidatarem, os candidatos devem ler atentamente o guia que lhes é destinado, anexo ao presente aviso de concurso. Este guia, que faz parte integrante do aviso de concurso, ajuda a compreender as regras respeitantes aos procedimentos e às modalidades de inscrição.

 

ÍNDICE

  1. NATUREZA DAS FUNÇÕES, CONDIÇÕES DE ADMISSÃO
  2. ETAPAS DO CONCURSO
  3. APRESENTAÇÃO DAS CANDIDATURAS

ANEXO:           GUIA DESTINADO AOS CANDIDATOS A CONCURSOS ORGANIZADOS PELO PARLAMENTO EUROPEU

 

A. NATUREZA DAS FUNÇÕES, CONDIÇÕES DE ADMISSÃO

  1. Considerações gerais

O Parlamento Europeu decidiu organizar um concurso geral (AD 5) na Direção-Geral da Tradução, com base no artigo 29.º, n.º 1, do Estatuto dos Funcionários da União Europeia.

O perfil pretendido é o de especialista em línguas e interculturalidade de língua inglesa. A lista de reserva incluirá 10 candidatos aprovados.

O recrutamento far-se-á no grau AD 5, primeiro escalão, a que corresponde o vencimento de base de 4 917,29 EUR euros por mês. Este vencimento está sujeito ao imposto comunitário e aos demais descontos previstos no Estatuto dos Funcionários da União Europeia, estando isento de qualquer imposto nacional. O escalão em que os candidatos aprovados serão recrutados poderá, contudo, ser adaptado em função da sua experiência profissional. Além disso, ao vencimento de base acresce, em determinadas condições, um certo número de subsídios.

O Parlamento Europeu aplica uma política de igualdade de oportunidades e aceita as candidaturas sem discriminação, nomeadamente discriminação baseada no género, na raça, na cor, na origem étnica ou social, nas características genéticas, na língua, na religião ou nas convicções, nas opiniões políticas ou em qualquer outra opinião, na pertença a uma minoria nacional, na riqueza, no nascimento, na deficiência, na idade, na orientação sexual, no estado civil ou na situação familiar.

 

  1. Natureza das funções

A Direção-Geral da Tradução (DG TRAD) presta serviços de tradução ao Parlamento Europeu para a comunicação em todos os formatos, quer em suporte papel, quer em suporte eletrónico, em todas as línguas oficiais da União Europeia.

A DG TRAD tem as seguintes incumbências:

  • assegurar a disponibilidade, em todas as línguas oficiais ou de trabalho, de todos os documentos relacionados com o papel do Parlamento enquanto colegislador e um dos dois ramos da autoridade orçamental, a fim de assegurar a legitimidade e a transparência do processo legislativo e orçamental da União;
  • permitir que o Parlamento respeite os compromissos decorrentes da política de multilinguismo, que visa garantir a igualdade de tratamento das línguas e proporcionar aos cidadãos da União a possibilidade de comunicar com as instituições e de ter acesso aos documentos elaborados por essas instituições na sua própria língua;
  • tornar os textos mais simples e mais inteligíveis graças à utilização de uma linguagem clara, tornando o Parlamento mais acessível e mais próximo dos cidadãos, nomeadamente através do recurso a novos formatos, que correspondam às novas formas de leitura no futuro;
  • assegurar que todos estes serviços sejam prestados com a máxima eficiência.

A vocação da DG TRAD consiste em estabelecer pontes entre as diferentes línguas e culturas e promover um multilinguismo sustentável, componente essencial do ideal democrático europeu.

Afetados ao Luxemburgo, os especialistas em línguas e interculturalidade facilitam a comunicação, na sua língua materna, entre o Parlamento Europeu e o público em geral. Devem utilizar uma linguagem clara em todos os aspetos do seu trabalho, tendo em conta o contexto cultural do país ou dos países envolvidos. Estes especialistas traduzem e localizam conteúdos destinados a serem lidos, escutados e vistos, reveem o trabalho dos seus colegas e prestam serviços de assistência à redação e de verificação linguística aos autores de documentos não legislativos. Têm também a incumbência de adaptar conteúdos na sua língua materna. É essencial dispor de um bom espírito de equipa e de sólidas competências interpessoais, uma vez que os especialistas em línguas e interculturalidade trabalham em estreita colaboração com colegas de outras unidades da DG TRAD e, pontualmente, estabelecem contactos com os serviços requerentes.

As funções do especialista em línguas e interculturalidade são as seguintes:

  • facilitar a comunicação com os cidadãos na sua língua materna, fazendo uso de uma linguagem clara;
  • traduzir, adaptar, transcriar e rever todos os tipos de conteúdos na sua língua materna;
  • trabalhar a partir de, pelo menos, duas outras línguas oficiais da União na mediação linguística e intercultural (por exemplo, legendagem, adaptação linguística de conteúdos audiovisuais, de podcasts ou de sítios Web);
  • prestar assistência na redação de documentos não legislativos;
  • contribuir para as ações de formação, para as tarefas de terminologia e para o desenvolvimento de ferramentas informáticas e de comunicação;
  • manter contactos regulares com os serviços requerentes;
  • contribuir para os processos de garantia e controlo da qualidade e velar pelo respeito das boas práticas, de molde a assegurar a excelência da qualidade dos conteúdos produzidos pela DG TRAD.

Os temas tratados, muitas vezes complexos, reportam-se, de um modo geral, a questões políticas, jurídicas, económicas, financeiras, científicas ou técnicas, abrangendo todos os domínios de atividade da União Europeia.

A execução destas tarefas exige a utilização intensiva de ferramentas informáticas específicas e ferramentas conexas. Este trabalho comporta igualmente a mediação linguística e intercultural através da tradução de conteúdos audiovisuais e da legendagem.

A função de um especialista em línguas e interculturalidade exige um forte sentido de adaptação, a capacidade de compreender problemas de natureza diversa e, muitas vezes, complexa, de reagir rapidamente à evolução das circunstâncias e de comunicar eficazmente. Os candidatos devem estar aptos a trabalhar regularmente de forma intensa, tanto de modo independente como em equipa, num ambiente de trabalho multicultural. Por último, os candidatos deverão empenhar-se no seu aperfeiçoamento profissional ao longo de toda a carreira.

 

  1. Condições de admissão

Na data-limite fixada para a apresentação das candidaturas, os candidatos devem preencher as seguintes condições:

a) Condições gerais

Nos termos do artigo 28.º do Estatuto dos Funcionários da União Europeia, o candidato deve, em particular:

–          ser nacional de um dos Estados-Membros da União Europeia;

–          encontrar-se no gozo dos seus direitos cívicos;

–          encontrar-se em situação regular face às leis de recrutamento que lhe forem aplicáveis em matéria militar;

–          oferecer as garantias de moralidade requeridas para o exercício das funções em causa.

 

b) Condições específicas

 i) Habilitações e diplomas exigidos

Formação de nível equivalente a um ciclo completo de estudos universitários, comprovada por um diploma, se a duração normal dessa formação for de, pelo menos, três anos. 

Os candidatos podem, nomeadamente, consultar o anexo I do Guia destinado aos candidatos a concursos organizados pelo Parlamento Europeu.

ii) Conhecimentos linguísticos

Os candidatos devem dominar, pelo menos, três línguas oficiais da União Europeia. No presente aviso de concurso, as línguas são identificadas do seguinte modo:

  • língua 1: língua principal, conhecimento perfeito da língua inglesa ao nível de língua materna;
  • língua 2: conhecimento aprofundado de uma das 24 línguas oficiais da União Europeia; a língua 2 deve ser diferente da língua 1;
  • língua 3: conhecimento aprofundado de uma das 24 línguas oficiais da União Europeia; a língua 3 deve ser diferente das línguas 1 e 2.

As línguas consideradas para efeitos do presente concurso foram definidas de acordo com os interesses do serviço. Com efeito, o lugar de especialista em línguas e interculturalidade de língua inglesa exige qualificações especiais devido à natureza das funções, tal como referido na secção A, ponto 2, do presente aviso de concurso.

Por conseguinte, para desempenharem as suas funções e assegurarem o bom funcionamento do serviço na DG TRAD, as pessoas recrutadas devem ser capazes de trabalhar e comunicar eficazmente em três línguas, nomeadamente em inglês enquanto língua principal. 

iii)     Experiência profissional exigida

Não é exigida experiência profissional. No entanto, a experiência profissional adquirida no domínio abrangido pelo presente concurso será valorizada.

 

 B. ETAPAS DO CONCURSO

 O concurso comporta duas fases:

  1. fase de pré-seleção:

      a) teste de escolha múltipla

      b) avaliador de talento («talent screener»)

  1. fase de provas.

 

  1. Fase de pré-seleção

 a) Teste de escolha múltipla

Os candidatos serão convocados para realizar um teste de pré-seleção na língua 1 (inglês).

Este teste de pré-seleção (teste de escolha múltipla) comportará um máximo de 40 perguntas destinadas a avaliar a capacidade dos candidatos para identificar os valores da União Europeia e o papel do Parlamento Europeu. Os candidatos receberão, em tempo útil antes da data do teste, exemplos dos tipos de perguntas que figuram nos testes de escolha múltipla.

Este teste terá a duração máxima de 80 minutos e será organizado em linha, em computador.

b) Avaliador de talento («talent screener»)

Os candidatos deverão preencher a secção «Avaliador de talento» que se encontra em anexo ao guia destinado aos candidatos (anexo III) e juntá-la ao ato de candidatura em linha.

Se os candidatos:

- preencherem as condições gerais e específicas de admissão (secção A, ponto 3),

- tiverem apresentado um dossiê de candidatura nos termos e no prazo exigidos (secção C),

- figurarem entre os melhores candidatos do teste de escolha múltipla (para o efeito, o júri terá em consideração os 150 candidatos que obtiverem a classificação mais elevada neste teste; se for caso disso, o júri selecionará todos os candidatos ex aequo sem limite de número),

o júri avaliará as respostas dadas pelos candidatos na secção «Avaliador de talento» e admitirá às provas escritas os 50 melhores candidatos. O júri poderá decidir conferir uma ponderação aos diferentes critérios de avaliação e multiplicar a pontuação atribuída para cada critério por este fator de ponderação. Os pontos serão somados para identificar os candidatos cujo perfil melhor corresponda às funções a exercer.

O júri baseará a sua avaliação exclusivamente nas respostas dadas pelos candidatos na secção «Avaliador de talento» e admitirá às provas escritas os 50 melhores candidatos.  

 

  1. Provas

Provas de tradução e adaptação

a) Tradução de um texto redigido na língua 2 para a língua 1 relacionado com as atividades legislativas do Parlamento Europeu.

Duração máxima da prova: 90 minutos, para um texto com um máximo de 450 palavras

Cotação: de 0 a 40 pontos - Pontuação mínima exigida: 20/40

As provas b) e c) dos candidatos que não tiverem atingido a classificação mínima nesta prova não serão corrigidas.

 

b) Tradução de um discurso ou de uma comunicação destinada aos cidadãos da língua 3 para a língua 1.

Duração máxima da prova: 90 minutos, para um texto com um máximo de 450 palavras

Cotação: de 0 a 40 pontos - Pontuação mínima exigida: 20/40

A prova c) dos candidatos que não tiverem atingido a classificação mínima nesta prova não será corrigida.

 

c) Adaptação de um texto em linguagem clara: com base num documento complexo na língua 2, redigir um novo texto, na língua 1, que reflita o conteúdo original num estilo e registo adaptados para tornar claras para os cidadãos as ideias essenciais.

Duração máxima da prova: 60 minutos

Cotação: de 0 a 40 pontos - Pontuação mínima exigida: 20/40

 

Estas provas serão efetuadas em linha, em computador.

Os 20 candidatos que obtiverem a pontuação mais elevada nas provas escritas serão convocados para as provas orais, desde que tenham atingido a pontuação mínima exigida em cada uma das provas.

 

Provas orais

d) Entrevista com o júri nas línguas 1 e 2, destinada a avaliar, à luz de todos os elementos que figuram no dossiê de candidatura, a aptidão do candidato para exercer as funções descritas na secção «Natureza das funções» numa instituição europeia. O júri poderá decidir testar os conhecimentos de outras línguas oficiais indicadas no formulário de candidatura.

Duração máxima da prova: 45 minutos

Cotação: de 0 a 40 pontos - Pontuação mínima exigida: 20/40

 

e) Prova de debate em grupo ou jogo de simulação na língua 1 destinada a permitir ao júri avaliar a capacidade de adaptação, a aptidão para negociar, a capacidade de decisão e o comportamento dos candidatos num grupo.

A duração da prova de debate em grupo será definida pelo júri, em função da composição definitiva dos grupos.

A duração máxima da prova do jogo de simulação é de 25 minutos.

Cotação: de 0 a 20 pontos - Pontuação mínima exigida: 10/20

 

Estas provas poderão ser organizadas à distância.

As instruções para as provas escritas e orais serão oportunamente transmitidas aos candidatos. As provas realizam-se numa data e num horário precisos. Se os candidatos não responderem a uma convocatória, não forem contactáveis por e-mail ou não se apresentarem a uma prova, serão excluídos. Os candidatos deverão seguir escrupulosamente as instruções dadas. O incumprimento das instruções ou um comportamento não conforme com as instruções resultam na exclusão imediata do candidato.

 

  1. Inscrição na lista de reserva

Após verificação dos documentos comprovativos dos candidatos, o júri elabora uma lista de reserva de 10 candidatos aprovados que tiverem

obtido as melhores pontuações globais na sequência das provas escritas e orais.  Os nomes serão indicados por ordem alfabética.

A validade da lista de reserva expira em 31 de dezembro de 2025, podendo ser prorrogada por decisão da entidade competente para proceder a nomeações.

Os candidatos são informados individualmente dos seus resultados. A lista de reserva será publicada no sítio Web oficial do Parlamento Europeu.

Se um candidato inscrito na lista de reserva receber uma proposta de emprego, deverá apresentar, para efeitos de certificação, os originais de todos os documentos requeridos, nomeadamente diplomas e certificados de trabalho.

A inclusão numa lista de reserva não constitui nem um direito nem uma garantia de recrutamento.

 

C. APRESENTAÇÃO DAS CANDIDATURAS

As candidaturas são apresentadas através da plataforma Apply4EP: https://apply4ep.gestmax.eu/search/index/lang/pt_PT

Os candidatos devem ler atentamente o Guia destinado aos candidatos a concursos organizados pelo Parlamento Europeu antes de preencher o formulário de candidatura, e apresentar os documentos comprovativos pertinentes.

 Data-limite para apresentação de candidaturas

 A data-limite para a apresentação das candidaturas é

10 de junho de 2021, às 17h30 (hora do Luxemburgo)

 Após a validação do formulário de candidatura, será automaticamente enviado ao candidato um aviso de receção.

Solicita-se aos candidatos que NÃO TELEFONEM a pedir informações sobre o calendário dos trabalhos.