This website uses cookies to ensure that we give you the best experience on our website. If you continue we assume that you consent to receive all cookies on all websites.
For further information, please click here >>.

ASSISTENTE RESPONSÁVEL PELAS APLICAÇÕES DE TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO (AST9) M/F

Local : Luxemburgo
Fim da publicação no sítio Web externo : 17/09/2020 23:59
Serviço : 11-Direction Générale des finances
Referência : EP/231/S
Guia destinado aos candidatos :

Generalidades

Antes de se candidatarem, os interessados devem ler atentamente o guia que lhes é destinado, em anexo ao presente aviso de recrutamento.

Este guia, que faz parte integrante do aviso de recrutamento, ajuda a compreender as regras respeitantes aos processos de seleção organizados pelo Parlamento Europeu e explica como apresentar uma candidatura.

ÍNDICE

A. NATUREZA DAS FUNÇÕES, CONDIÇÕES DE ELEGIBILIDADE

B. FASES DO PROCESSO

C. APRESENTAÇÃO DAS CANDIDATURAS

 

ANEXO:    GUIA DESTINADO AOS CANDIDATOS A PROCESSOS DE SELEÇÃO ORGANIZADOS PELO PARLAMENTO EUROPEU

A. NATUREZA DAS FUNÇÕES, CONDIÇÕES DE ELEGIBILIDADE

1. Observações gerais

O Parlamento Europeu decidiu iniciar o processo de provimento de um lugar temporário de assistente (AST 9) na Direção do Orçamento e dos Serviços Financeiros da Direção-Geral de Finanças.

O contrato será celebrado por um período indeterminado. O recrutamento far-se-á no grau AST 9, primeiro escalão, a que corresponde o vencimento de base de 8 002,30 euros por mês. Este vencimento está sujeito ao imposto comunitário e aos demais descontos previstos no Regime Aplicável aos Outros Agentes da União Europeia (ROA)[1] e está isento de impostos a nível nacional. O escalão em que o candidato aprovado será recrutado poderá ser adaptado em função da experiência profissional. Além disso, ao vencimento de base poderão acrescentar-se, em determinadas condições, alguns subsídios.

O recrutamento de agentes temporários deve ter em vista assegurar à instituição a colaboração de pessoas que possuam as mais altas qualidades em termos de competência, rendimento e integridade, recrutadas numa base geográfica tão larga quanto possível de entre os nacionais dos Estados-Membros da União.

O Parlamento Europeu aplica uma política de igualdade de oportunidades e aceita as candidaturas sem quaisquer discriminações, nomeadamente em razão do sexo, da raça, da cor, da origem étnica ou social, das características genéticas, da língua, da religião ou da crença, de opiniões políticas ou quaisquer outras convicções, da pertença a uma minoria nacional, do património, do nascimento, da deficiência, da idade, da orientação sexual, do estado civil ou da situação familiar.

Qualquer referência no presente documento a uma pessoa do sexo masculino é entendida como sendo igualmente feita a uma pessoa do sexo feminino e vice-versa.

 

[1] Ver Regulamento (CEE, Euratom, CECA) n.º 259/68 do Conselho, de 29 de fevereiro de 1968, que fixa o Estatuto dos Funcionários das Comunidades Europeias, assim como o Regime Aplicável aos Outros Agentes destas Comunidades, e institui medidas especiais temporariamente aplicáveis aos funcionários da Comissão (JO L 56 de 4.3.1968, p. 1), alterado pelo Regulamento (CE, Euratom) n.º 723/2004 (JO L 124 de 27.4.2004, p. 1) e com a última redação que lhe foi dada pelo Regulamento (UE, Euratom) n.º 1023/2013 do Parlamento Europeu e do Conselho (JO L 287 de 29.10.2013, p. 15).

Natureza das funções

2. Natureza das funções

O candidato aprovado, trabalhando diretamente sob a alçada do gestor de projetos do Sistema de Gestão Financeira (FMS, «Financial Management System»), terá de desempenhar funções de apoio em um ou mais domínios de responsabilidade da entidade em causa. O âmbito do projeto FMS abrange, fundamentalmente, a) os processos orçamentais, gerais e de contabilidade analítica e b) os procedimentos de gestão de ativos, inventário e gestão de contratos, bem como a elaboração dos relatórios conexos. Muitos destes processos baseiam-se nas regras estabelecidas no Regulamento Financeiro aplicável ao orçamento geral da União Europeia e nas suas normas de execução.

O FMS também interage com um número significativo de aplicações do Parlamento Europeu desenvolvidas internamente, com base em diferentes tecnologias. A maior parte dessas aplicações são utilizadas para preparar os pagamentos aos deputados, aos funcionários e aos fornecedores externos do Parlamento Europeu.

Com base no Luxemburgo[1], o candidato aprovado terá de se deslocar regularmente entre os três locais de trabalho habituais do Parlamento (Bruxelas, Luxemburgo e Estrasburgo), bem como para outros destinos.

O candidato aprovado trabalhará em estreita colaboração com os outros membros do Centro de Competência FMS e, sempre que necessário, com os utilizadores finais.

Prestará ao Centro de Competências FMS apoio e informações pertinentes e em tempo útil sobre diferentes questões técnicas que se inserem na sua esfera de competências, que abrange o módulo SAP de gestão de fundos («Funds Management»).

As suas principais funções serão as seguintes:

  • preparar, organizar e executar as diferentes tarefas relacionadas com a avaliação e manutenção corretiva do FMS (por exemplo, configuração, desenvolvimento, teste, migração, etc.);
  • analisar os requisitos operacionais do Parlamento Europeu em termos de gestão e execução orçamentais, bem como noutras áreas de integração do FMS;
  • fornecer soluções no módulo SAP de gestão de fundos para satisfazer as necessidades operacionais e preparar as especificações funcionais conexas necessárias a quaisquer outros desenvolvimentos específicos;
  • prestar orientações e apoio aos utilizadores finais, nomeadamente ajudando na preparação de cursos de formação específicos.

Estas funções pressupõem as seguintes competências:

–       capacidade de análise,
–       capacidade de organização e planeamento,
–       capacidade de trabalho em equipa,
–       capacidade de comunicação oral e escrita,
–       capacidade de resolução de problemas,
–       orientação para o serviço ao cliente.

 

[1]Este lugar é suscetível de ser reafetado a um dos outros locais de trabalho do Parlamento Europeu.

Condições de admissão

3. Condições de elegibilidade

Na data-limite fixada para a apresentação das candidaturas, os candidatos deverão preencher as seguintes condições:

a) Condições gerais

Nos termos do artigo 12.º, n.º 2, do ROA, os candidatos devem, nomeadamente:

–          ser cidadãos nacionais de um dos Estados-Membros da União Europeia,

–          encontrar-se em situação de pleno usufruto dos seus direitos cívicos,

–          encontrar-se em situação regular face à leis de recrutamento que lhe forem  aplicáveis em matéria militar;

–          oferecer as garantias de moralidade requeridas para o exercício das suas funções.

b) Condições específicas

i) Habilitações e conhecimentos exigidos

Os candidatos devem possuir:

  • formação de nível pós-secundário comprovada por um diploma

ou

  • formação de nível secundário comprovada por um diploma que dê acesso ao ensino superior, seguida de, pelo menos, três anos de experiência profissional pertinente para as funções. Estes três anos de experiência profissional não serão tidos em conta na avaliação da experiência profissional exigida abaixo.

O comité de seleção tem em conta os diferentes sistemas de ensino dos Estados-Membros da União Europeia. O quadro constante do Guia destinado aos candidatos a processos de seleção organizados pelo Parlamento Europeu dá exemplos de habilitações mínimas exigidas.

Possuir certificação no domínio SAP será uma vantagem.

ii) Experiência profissional exigida

Após a obtenção das habilitações especificadas acima, os candidatos deverão ter adquirido uma experiência profissional de, pelo menos, 13 anos num domínio relacionado com a natureza das funções, dez dos quais a trabalhar com o módulo SAP de Gestão de Fundos.

iii)     Conhecimentos linguísticos

Os candidatos devem possuir um conhecimento profundo (de pelo menos de nível C1[1]) de uma das línguas oficiais da União Europeia (língua 1): alemão, búlgaro, checo, croata, dinamarquês, eslovaco, esloveno, espanhol, estónio, finlandês, francês, grego, húngaro, inglês, irlandês, italiano, letão, lituano, maltês, neerlandês, polaco, português, romeno ou sueco;

e

muito bons conhecimentos (de pelo menos nível B21) de inglês ou francês (língua 2).

A língua 2 terá obrigatoriamente de ser diferente da língua 1.

Informa-se os candidatos de que as opções para as línguas 2 (inglês ou francês) no presente processo de seleção foram definidas de acordo com o interesse do serviço. Com efeito, pela natureza das funções, o lugar de responsável pelas aplicações de tecnologias da informação e da comunicação (TIC) exige qualificações especiais: capacidade analítica e organizacional, desenvolvimento de programas de TIC, bem como capacidade de comunicação oral e escrita.

O conhecimento do inglês ou do francês é fundamental para que o agente possa assumir as suas responsabilidades no âmbito das funções. Terá de desenvolver relações de trabalho com partes interessadas que falam principalmente inglês ou francês, a fim de alcançar objetivos e realizar projetos específicos do Parlamento Europeu.

O agente temporário terá de utilizar e desenvolver programas de TIC principalmente em inglês, que é a língua utilizada no Parlamento Europeu, e universalmente, para a comunicação e o desenvolvimento no domínio das tecnologias da informação. O inglês é também a principal língua de trabalho no Centro de Competências do Sistema de Gestão Financeira e, de um modo mais geral, nas direções da Direção-Geral das Finanças.

O francês é amplamente utilizado na comunicação escrita e oral com as autoridades políticas e administrativas do Parlamento e com as outras direções-gerais. Além disso, sendo a posição baseada no Luxemburgo, implica também a interação com prestadores de serviços de TIC externos e partes interessadas locais, cuja principal língua de comunicação é o francês.

Assim, para compreender e desempenhar as suas funções e contribuir para o bom funcionamento dos serviços, o candidato aprovado deve estar em condições de comunicar eficazmente com a administração, os colegas e os interlocutores externos em, pelo menos, uma destas duas línguas.

 Além disso, para salvaguardar a igualdade de tratamento, todos os candidatos, incluindo aqueles cuja primeira língua oficial seja uma daquelas duas, devem possuir um conhecimento satisfatório de uma segunda língua, que deve corresponder ao outro idioma desse leque de dois idiomas.

[1] Ver o Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas (QECR) – https://europa.eu/europass/pt/common-european-framework-reference

Admissão ao processo de seleção

B. FASES DO PROCESSO

1. Admissão ao processo de seleção

O processo de seleção é organizado com base na avaliação das habilitações e na prestação de provas.

Se os candidatos

  • satisfizerem as condições gerais de elegibilidade
  • e tiverem apresentado as candidaturas de acordo com as modalidades definidas e dentro do prazo,

o comité de seleção analisará as respetivas candidaturas tendo em conta as condições específicas de elegibilidade.

Os candidatos que preencham as condições específicas de elegibilidade são admitidos ao

processo de seleção.

O comité de seleção baseia as suas decisões exclusivamente nas informações constantes do formulário de candidatura que forem atestadas por documentos comprovativos (para informações mais pormenorizadas, consultar o Guia destinado aos candidatos a processos de seleção organizados pelo Parlamento Europeu).

Avaliação das qualificações

2. Avaliação das habilitações

O comité de seleção, com base nos critérios previamente definidos, procede à avaliação das qualificações dos candidatos admitidos ao processo de seleção e estabelece a lista dos 12 melhores candidatos convidados para a prova escrita.

Ao avaliar as qualificações dos candidatos, o comité de seleção terá especialmente em conta os seguintes aspetos (atestados por documentos comprovativos anexos ao processo de candidatura):

  • habilitações e diplomas adicionais relevantes para as funções;
  • experiência em técnicas de análise empresarial;
  • experiência em implementação SAP na gestão de fundos no setor público;
  • experiência profissional num ambiente multicultural e multinacional.

 Cotação: 0 a 20 pontos.

Provas

3. Provas

Prova escrita

a) Prova de redação na língua 2 (inglês ou francês), realizada com base num dossiê e destinada a avaliar a capacidade dos candidatos para desempenhar as funções descritas na secção A, ponto 2, e para compreender os requisitos aplicáveis aos requisitos operacionais, criar soluções e apoiar os utilizadores finais.

Duração da prova: 3 horas

Cotação: 0 a 40 pontos (pontuação mínima exigida: 20 pontos)

Os seis candidatos que obtenham a pontuação mais elevada serão convocados para as provas orais, desde que tenham atingido a pontuação mínima exigida.

Provas orais

b) Entrevista com o comité de seleção na língua 2 (inglês ou francês), destinada a avaliar, à luz dos dados que figuram nos processos de candidatura, a aptidão dos candidatos para desempenhar as funções especificadas na secção A, ponto 2. O comité de seleção poderá decidir testar os conhecimentos linguísticos especificados no formulário de candidatura.

Duração da prova: 45 minutos

Cotação: 0 a 40 pontos (pontuação mínima exigida: 20 pontos)

c) Prova de debate em grupo na língua 2 (inglês ou francês), destinada a permitir que o comité de seleção avalie a capacidade de adaptação, a aptidão para negociar e a capacidade de trabalho em equipa.

A duração desta prova será definida pelo comité de seleção com base na composição definitiva dos grupos.

Cotação: 0 a 20 pontos (pontuação mínima exigida: 10 pontos)

Lista dos candidatos aprovados

4. Lista dos candidatos aprovados

São inscritos na lista de candidatos aprovados, por ordem de mérito, os nomes dos três candidatos que obtiverem o número mais elevado de pontos no conjunto do processo (avaliação das habilitações e provas) e alcançarem o limiar mínimo exigido em cada um das provas.

Os candidatos serão informados individualmente dos seus resultados.

A lista de candidatos aprovados será afixada nos painéis de informação dos edifícios do Parlamento Europeu.

Os candidatos que recebam uma proposta de emprego poderão ter de apresentar os originais ou cópias certificadas de todos os documentos exigidos, ou de parte deles, para efeitos de verificação.

A validade da lista de candidatos aprovados expira em 31 de dezembro de 2023, podendo, no entanto, ser prorrogada. Nesse caso, os candidatos aprovados inscritos na lista serão oportunamente informados.

Apresentação das candidaturas

C. APRESENTAÇÃO DAS CANDIDATURAS

Recomenda-se aos interessados que, antes de preencher o formulário, leiam atentamente o Guia destinado aos candidatos a processos de seleção organizados pelo Parlamento Europeu, em anexo.

Os interessados deverão apresentar as suas candidaturas através da plataforma APPLY4EP.

O prazo para a apresentação de candidaturas termina em 17 de setembro de 2020, às 23:59:00 horas (hora de Bruxelas).

Solicita-se aos candidatos que NÃO TELEFONEM para pedir informações sobre o calendário dos trabalhos.